"Existe apenas um momento exato para ir pescar, e esse momento é sempre que você puder."

Agenda de Pescarias (veja se sua pescaria já foi agendada)

domingo, 16 de maio de 2010

Os animais mais perigosos da Amazônia

Durante um "trekking" ou "hikking" numa região selvagem como a floresta a Amazônica, você poderá se deparar com alguns animais perigosos e peçonhentos. Antes de tudo, lembre-se sempre que é você o "estranho no ninho". Você está invadindo o habitat natural desses animais. Respeite os animais e as plantas, observe-os à distância. A proximidade pode ser interpretada como um ameça e pode provocar um ataque, mesmo de pequenos animais. Além disso, lembre-se que animais silvestres transmitem doenças. Em caso de aproximação perigosa de animais, afaste-se imediatamente e alerte o guia que tomará as ações necessárias. Abaixo uma relação dos animais mais perigosos que você poderá encontrar na Amazônia:
- Mosquitos: Também conhecidos como pernilongos, muriçocas ou borrachudos. São responsavéis por mais de 2 milhões de mortes de pessoas por ano no mundo. Leve sempre consigo um bom repelente para insetos, use roupas claras, camisas de manga, botas, calças e bonés. Mantenha-se protegido! Antes de encarar a floresta, verifique a validade de sua vacina antiamarilíca, que tem validade de 10 anos e protege contra a febre amarela. Caso seja necessário, tome nova dose antes de viajar.
- Cobras peçonhentas: São responsavéis por mais 100 mil mortes por ano em todo o planeta. Na Amazônia, as cobras mais perigosas que você poderá encontrar são a jararaca, a surucucu [pico de jaca], a coral e a cobra papagaio. Evite subir em árvores, mexer em troncos ocos ou buracos. Ao ultrapassar qualquer obstáculo, observe onde vai pular ou colocar os pés. Cuidado com os galhos mais baixos. A maioria dos acidentes envolvendo cobras os ataques ocorrem na perna, até a altura do joelho. Isso ocorre principalmente porque ou pisamos na cobra ou ficamos muito próximos ao seu raio de ataque. Em caminhadas na floresta é sempre mais seguro utilizar calças e botas de cano alto. Lembre-se que as cobras são mais ativas durante a noite mas encontros durante o dia não são tão raros. Em caso de acidente, o melhor que se tem a fazer é lavar bem o local com água e sabão e procurar imediatamente um posto de saúde para ministrar o soro antiofídico específico.
click na imagem para ampliá-la
- Aranhas: As mais perigosas são as aranhas armadeira e a aranha marrom. Apesar de suas má fama de reputação, a aranha caranguejeira não é venenosa para seres humanos mas sua picada é extremamente dolorosa. O tratamento na maioria dos casos é só pra dor com uso de anestésico tipo xilocaína. Em crianças e ocorrências graves em adultos, é necessário aplicar o soro antiracnídio (aranha armadeira) ou o soro antiloxoscélico (aranha marrom). 
click na imagem para ampliá-la
- Escorpiões: Os mais conhecidos são o escorpião preto e o escorpião amarelo. Sua picada causa dor muito intensa. Na maioria dos casos é necessário a aplicação de anestésico local do tipo xilocaína. Em crianças e ocorrências graves em adultos, é necessário aplicar o soro antiescorpiônico ou antiaracnídio, que é polivalente.

As arraias: São peixes de água doce que vivem no fundo de rios, lagos e adoram fazer ninhos em locais de água parada ou de pouca correnteza. Esses animais lideram o ranking de acidentes na Amazônia junto com cobras, aranhas e escorpiões. Possuem um ferrão serrilhado na cauda, que entra fácil e sai rasgando [a pele], machucando bastante, causando muito sangramento, dor intensa, inchaço e até infecção. O ferrão da arraia é coberto por um muco venenoso. Além do veneno, há o problema de sujeira na água que pode causar infecção. Duas dicas importantes para evitar acidentes com arraias:
1) Antes de entrar em algum trecho de rios, lagos e igarapés para se banhar ou simplesmente atravessar de um ponto a outro, utilize um pedaço de galho para "cutucar" o fundo. Mesmo que esteja enxergando o fundo é bom fazer este procedimento pois as arraias gostam de se enterrar nesses locais.
2) Nunca caminhe dentro d'água pisando de cima para baixo. O correto é andar arrastando os pés. 
No caso de acidente, o tratamento é feito a base de limpeza do ferimento, com água morna, curativos, anestésico e anti-inflamatórios.
click na imagem para ampliá-la
Onças, gatos do mato, jaguatiricas e outros felínos: Esses animais dificilmente atacam seres humanos e somente o fazem ser confundirem você com sua presa [alimento] ou se sentirem muito ameaçados [não cutuque a onça com vara curta]. Na maioria dos encontros com onças e outros felinos da floresta amazônica, o "bicho" simplesmente virá as costas e vai embora. Porém, se o encontro for inevitável, o melhor que você tem a fazer é subir rapidamente numa árvore de tronco bem retinho e com bastantes galhos para você se apoiar. Mas ATENÇÃO! Não faça como o PADRE:

" O Padre estava caminhando por um trilha na floresta quando de repente viu uma onça que corria em sua direção. O padre começou a correr e quando a onça já quase o alcançava, teve um idéia "brilhante". Ajoelhou-se, ergue as mãos para cima, começou a rezar e disse: "Senhor faça com que essa onça tenha princípios cristãos e afaste-a de mim" . Então a onça parou abruptamente, ergue as mãos [patas] e disse aos céus: "Senhor, abençoai esse alimento que vamos comer"

3 comentários:

  1. uau que coisa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. ESA piada da onça e do padre foi muito boa

    ResponderExcluir
  3. kkkkkk,a piada foi muito boa mesmo igual ao conteudo publicado,parabens!!!!!!

    ResponderExcluir